Autores

Alberto Aggio é doutor e mestre em História pela FFLCH-USP. Professor titular em História da América pela UNESP, com pós-doutorado nas universidades de Valência (Espanha) e Roma3 (Itália). Dedica-se à história política da América Latina Contemporânea, em especial à história política do Chile. É autor de “Democracia e socialismo: a experiência chilena”(São Paulo: Unesp, 1993; Annablume, 2002, Appris, 2021 – no prelo), “Frente Popular, Radicalismo e Revolução Passiva no Chile” (São Paulo: Annablume/Fapesp, 1999), “Uma nova cultura política” (Brasília: Fap, 2008), “Um lugar no mundo – estudos de história política latino-americana” (Brasília/ Rio de Janeiro: Fap/Contraponto, 2015) e “Itinerários para uma esquerda democrática” (Brasília: Fap, 2018). É autor e organizador de “Gramsci: a vitalidade de um pensamento” (São Paulo: Unesp, 1998), co-organizador de “Pensar o Século XX – problemas políticos e história nacional na América Latina” (São Paulo: Editora Unesp, 2003) e “Gramsci no seu tempo” (Brasília/Rio de Janeiro: Fap/Contraponto, 2010).

Marcus Vinícius Furtado da Silva Oliveira é pós-doutorando em História pela Unesp – Franca, além de mestre e doutor pela mesma instituição. É autor dos livros “Em um rabo de foguete: trauma e cultura política em Ferreira Gullar” e “Arquitetura fractal de Antonio Gramsci: História e política nos Cadernos do Cárcere.” Atua também como professor de História na rede privada de Uberaba/MG.

Luiz Jorge Werneck Vianna nasceu no Rio de Janeiro em novembro de 1938. Concluiu o curso de graduação em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro em 1962. Em 1967, terminou uma segunda graduação, em Ciências Sociais, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em 1970 concluiu o Mestrado em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ) e obteve título de doutorem Sociologia pela Universidade de São Paulo em 1976. Foi presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS). Foi professor do IUPERJ e atualmente é professor do Departamento de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Dentre seus principais livros estão Liberalismo e sindicato no Brasil. Belo Horizonte: UFMG, 2000 (reedição); A revolução passiva: iberismo e americanismo no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 1997; A judicialização da política e das relações sociais no Brasil (com Maria Alice Rezende de Carvalho, Manuel Palácios e Marcelo Burgos). Rio de Janeiro: Revan, 1999; Democracia e os três poderes no Brasil. Belo Horizonte: UFMG, 2002; A modernização sem o moderno. Brasília: Fundação Astrojildo Pereira (FAP), 2011.

Mestre em Letras (1987), pela UNESP, Doutor em Letras (1994), pela FFLCH-USP, e Livre-docente em Teoria da Literatura (2019), pela UNESP-Ar., à qual se vincula como Professor Associado do Departamento de Linguística, Literatura e Letras Clássicas, do Curso de Graduação em Letras e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários. Seus principais interesses de pesquisa e suas publicações situam-se no domínio das relações intersemióticas manifestadas no texto literário, especialmente, no conto contemporâneo e na ficção regionalista nacional.

Gianluca Fiocco é professor e pesquisador de História Contemporânea vinculado a Universidade Roma2, “Tor Vergata”. É também membro do Conselho de Direção Científica da Fundação Gramsci de Roma. Dentre as suas publicações está Togliatti, il realismo della política, Roma: Carocci, 2018.

Sem comentários

Desculpe, o formulário de comentário está fechado neste momento.